foto1
foto1
foto1
foto1
foto1
Associação Ornitológica de Barão de Cocais

Online

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online

Login

Visitas

234937
Hoje
Ontem
Esta semana
Semana passada
Este mês
Mês passado
Todos os dias
53
187
450
232656
2518
14025
234937

Seu IP: 54.234.228.78
11-12-2018 02:18

SITE DA AOBC

ENTREVISTA DO MÊS DE FEVEREIRO/2018

    Em nossa entrevista do mês de fevereiro de 2018 para o site da AOBC, estaremos conversando com o criador Bernardo Botelho da cidade de Belo Horizonte/MG, proprietário do trinca-ferro REI DO GADO, atual CAMPEÃO Mineiro de 2017, pela Federação Ornitológica de Minas Gerais - FEOMG, na modalidade Canto-Fibra.

Como sabemos, disputar um Campeonato sempre será difícil, pois são muitas viagens, muitas etapas, vários adversários e etc, por isso ser Campeão é uma grande conquista e deve ser VALORIZADA, então vamos lá Bernardo:

1- Como aconteceu seu primeiro contato com o trinca Rei do Gado e em qual época ocorreu a transferência da ave para seu plantel?

 R: Com propriedade para falar  por já ter participado nos últimos 5 anos do Torneio Festivo de Barão de Cocais/MG, queria em primeiro lugar parabenizar a AOBC, por ser uma associação referência no nosso Estado de Minas Gerais e agradecer por esta oportunidade de estar participando e abrindo este Quadro de Entrevistas. Obrigado em especial aos amigos André Barros pelo convite e Wallace Nogueira por esta fantástica idéia.

É um prazer enorme falar do Rei. Um trinca que me encheu de alegrias e muitas emoções nesta Temporada de 2017/2018.

O Rei tem uma história linda. Em outra oportunidade vou contar com mais detalhes para não estar alongando ainda mais esta entrevista.

Ele fez sua estréia nas rodas no final de 2016 e mesmo sendo sua primeira participação em um Torneio Oficial mostrou muita velocidade e finalizou com 161 cantos. Participou de poucos Torneios nesta Temporada, teve duas cantadas expressivas sendo de 190 e 196 cantos. Desde quando surgiu por ter chamado muita atenção, dois amigos ( Jaconias e Thiago Lozzi ) comentaram sobre ele comigo. Posteriormente o amigo André Barros me ligou para contar sobre o trinca que havia acabado de ganhar o Torneio dos Campeões em Barão de Cocais, com 191 cantos na final e percebi que se tratava do mesmo passarinho, o meu Rei do Gado! As informações dos amigos eram de que se tratava de um  trinca lindo, novinho, velocista e muito fibrado.

Despertou-me um interesse enorme de conhecê-lo. Já em contato com seu até então proprietário Sr. Wilson, uma pessoa fantástica, quem merece todo mérito de ter o revelado, vim ter o prazer de conhecê-lo e depois de muita conversa, em maio vim ter a honra de tê-lo comigo no Criatório Mestres Mineiros.

 2- Quais foram suas observações iniciais em relação às características do Rei do Gado, nos primeiros dias de convivência entre vocês?

 R: Eu sou um apaixonado por trinca-ferro e o que mais me chama a atenção são a fibra e a velocidade. Ao mesmo tempo sou muito detalhista, gosto de passarinhos bonitos, estilosos, quando vejo todas estas qualidades em um mesmo trinca, me enche os olhos, foi assim com o Rei: bati o olho e me apaixonei!

 3-  Qual a inspiração para a escolha deste nome único: Rei do Gado?

 R: Por ele também ter o canto “boiadeiro”, eu cheguei a imaginar que na minha casa tinha mais bois que em um curral lotado, rsrs. Quando ele chegou, eu tinha dividindo e disputando prego com ele outros dois trincas também de canto “boiadeiro”, porém, passado uma semana, só se escutava o Rei cantar! Por isso ele é meu REI DO GADO! Uma grande curiosidade é que na roda pouquíssima vezes ele dá o canto com “boi”.

 4- Como se deu a preparação na época de muda e na Pré-Temporada do Rei do Gado?

R: Acredito que uma muda bem feita é o segredo para uma Temporada de sucesso. Começando pela prontidão da ave de vir já pronta no início da Temporada fazendo o que de melhor tem para apresentar. Eu ano passado não tive a oportunidade do Rei fazer a muda comigo, então faltava apenas um mês e meio até o dia que eu tinha projetado começar a Temporada com ele, que seria na primeira semana de julho. Dediquei-me ao máximo! Como não tive o prazer da muda dele ter sido feita comigo, vou falar um pouquinho de como penso sobre a preparação para a Temporada.

O trinca é um animal foto período que ao longo do ano é positivo quando os dias são mais longos, ou seja, quando existe uma maior captação de luz, seja natural ou artificial, é quando então inicia-se a época reprodutiva, quando os dias começam a ficar mais longos. Existem formas fáceis e práticas de trabalharmos isto em nossos alados afim de “adiantarmos” ou prepararmos eles para a Temporada. Fornecer mais luz e calor antes do calor e luminosidade maior ocorrer de forma natural e assim foi feito com o Rei. Vejo muitas conversas no WhatsApp sobre alimentação saudável ou ideal para nossos trincas, contudo, entendo e respeito que cada um tem sua maneira de pensar, seja o mais estudado ou o mais prático e eu tenho a minha que se baseia muito na vida de mesmo na natureza.

Nossos trincas são animais nativos, um dia foram selvagens, hoje são domésticos (nascidos em ambiente doméstico), seu habitat natural é a gaiola. Mas eu acredito muito na biologia de cada espécie e em suas características naturais, instintos. O trinca ferro na natureza se alimenta de acordo com a variação das estações do ano. No meu entendimento sua alimentação se baseia em folhas, brotos e insetos, de acordo com a oferta na natureza e em menor quantidade de sementes, frutos e legumes.

A época de choca se dá principalmente de setembro a fevereiro e isto acontece porque a natureza é perfeita. Esta é a época das chuvas e conseqüentemente de uma maior abundância de alimentos dos quais ele necessita ( brotos, folhas e principalmente insetos )para estar pronto e tratar dos filhotes. No ambiente doméstico somos o responsável por tudo isto e como tratava para aprontar para a Temporada caprichei com o Rei seguindo esta minha linha de raciocínio: sementes germinadas ( por ter um maior nível de proteína ) bastante folhas, insetos ( além de fonte protéica foram usados também para aguçar seus instintos de caça ) e sementes verde que ele adora como o mini sorgo, aroeira, araçá do mato, entre outras. Legumes ricos em betacaroteno e vitamina A e poucas frutas.

Como se tratava de Pré-Temporada de forma gradativa fui aumentando a oferta de sol a ele. Mesmo o trinca não sendo um pássaro muito adepto ao sol, por ser fonte de vitamina D, o mínimo já era o suficiente, mas para a preparação uma maior quantidade ajudou muito. Os vôos eram espontâneos e por conta dele. Morou durante a Pré-Temporada em um voador de 3 metros de comprimento por 1 metro de largura e 1 metro de altura. Já na fase final de preparação, dei com o Rei um passeio na natureza e estímulos com outros trincas.

 5-  Nas primeiras puxadas o que você observou de positivo e negativo no Rei do Gado, ou seja, como estava seu comportamento na roda?

 R: O Rei é um trinca muito agressivo na roda, emparelha e não larga por nada, é bonito de ser ver, mas sem dúvidas que o desgaste dele é muito grande por ser assim.

Nas primeiras rodas errei na empoleiração, ele chegou a ficar mal empoleirado nas laterais e chegou a ir ao fundo da gaiola.

Corrigi as laterais e conseguir ajudar para que ele ficasse mais a vontade para passear para o outro lado se quisesse, o que a meu ver é muito bom quando ele faz isto por se desafogar um pouco. Em uma roda próxima corrigi a empoleiração colocando o 6º poleiro que passou a ser muito bem usado por ele. Demorei cinco rodas para ajustar a empoleiração e gaiola de um modo geral.

Quanto ao seu comportamento devido às circunstancias que eu resolvi puxá-lo achei que ele estava entrando na roda muito agressivo e permanecia assim até o final. Tentei então trabalhar para conseguir que ele entrasse mais calmo, passeando e que sua agressividade viesse de acordo com o tempo de roda e consegui que esta agressividade viesse após uns 40 minutos ou 1 hora de roda. O que penso ser muito favorável para ele não se desgastar de forma desnecessária no início e estar mais inteiro para a final.

 6- Você foi “conservador” ou “aventureiro” nas mexidas com o Rei do Gado, a fim de buscar “ a batida perfeita ”?

 R: Costumo ser bem aventureiro, mas com o Rei para ser bem sincero não tive muitas opções do que fazer, apenas tive paciência para não correr o risco de me precipitar e cometer um erro e contei um pouco com a sorte para ter conseguido essa “batida quase perfeita”.  O Rei veio para minha casa enxugando muda e sua então fêmea ainda em processo de muda e gelada. Afastei nos dois o máximo afim de não atrapalhar este processo de ambos. O Rei aprontava de acordo com minha estimativa e a fêmea cada dia mais gelada. Isso me preocupava para a Temporada, como eu ria fazer. Chegou a época que eu planejava puxá-lo, ele já em boas condições e a fêmea ainda gelada.

Já são mais de 15 anos puxando trinca em rodas e em todo este tempo com meus acertos e erros sempre me dei muito melhor quando aventurava diminuir a quantidade de fêmea do que quando aumentava, então com o Rei resolvi seguir minha intuição.

Por tudo que já estava conhecendo ele, tive a certeza da fibra que ele tem e que agüentaria perfeitamente uma roda quase sem fêmea, bastava eu experimentar, e assim foi. Puxei-o pela primeira vez no primeiro domingo de julho e deixei por uma hora na roda e tirei. Foi lindo de ver. Colocou velocidade, estilo, bonito e uma pegada muito boa. Tinha ido com menos fêmea do que deveria e se apresentou muito bem. Na semana seguinte segui o meu raciocínio de acordo com a tendência lógica de como tudo acontecia e levei com menos fêmea ainda. No caso só não podia dizer que estava puro porque a fêmea morava na mesma casa que ele. E veio a primeira emoção, 142 nos 10 e 210 na final, no dia 09/07/2017, em Santa Luzia pela ASALUZ. Ainda o puxei até o final de julho com a fêmea em casa para não ser muito radical na mudança que eu já planejava fazer. E a partir de agosto tirei a fêmea de casa, passou a morar sozinho. Dia 13/08/2017 foi sua primeira puxada puro onde deu 152/203 em Itaúna/MG pela FEOMG, e foi o REI DO GADO que é hoje e que muitos puderam conhecer!

Quando em falei em “batida quase perfeita”,  não foi só por sermos ambiciosos no sentido de sempre querer o melhor para nossos alados, mas por eu enxergar que ainda é preciso alguns ajustes ou por eu ver que por todo seu potencial ele ainda tem condições de se sair melhor. É um trinca muito novo, com muita vitalidade e saúde de dar gosto e por ter sido basicamente seu primeiro ano de roda, acredito que tem muita experiência por vir.

 7-  No decorrer do Campeonato como foi o desempenho do Rei do Gado?

 R: Em sua primeira apresentação no campeonato FEOMG, o Rei não contou com a sorte. Pegou duas parelhas que levaram ele para baixo e muitos pios na roda contribuíram para ele não focar muito bem. Foi sua pior apresentação e resultado em todo o campeonato. Deu 130/170 neste dia. Na semana seguinte já se apresentou muito bem ultrapassando os 200 cantos e manteve esta pegada até o final do campeonato com belíssimas cantadas.

 8- Durante as etapas do Campeonato qual o momento de maior emoção que o Rei do Gado lhe proporcionou?

 R: O momento em que literalmente eu mais me emocionei em todo o campeonato foi na etapa de Itaúna no dia 03/12/2017. Eu viajei o mês de novembro, tive que ficar o mês todo sem puxar, perdendo as etapas do campeonato. O Rei ficou o mês todo sem os meus cuidados e minha atenção. Ele que estava fazendo um campeonato digno de um Campeão e merecendo o título já havia perdido a primeira colocação.

Eu cheguei de viagem dia 02/12/2017 a noite, preparei o Rei para o torneio de domingo, já era quase de madrugada. Eu não sabia como ele estava, como ele poderia se sair. Coloquei ele na estaca no dia seguinte e com meia hora de roda ele já me fazia emocionar. Foi uma das rodas mais lindas que eu já vi dele até hoje. Ele deu 161/212, um espetáculo, reassumindo a liderança do campeonato. Parecia querer me mostrar que estava doido para voltas as rodas e agradecido por nossa parceria dos domingos estar reestabelecida.

 9- Qual foi a média de cantos do Rei do Gado durante o Campeonato e qual sua maior cantada?

 R: Eu considero ter sido um campeonato impecável do Rei. Nós tivemos um ano abençoado!

·  30/07/17 – Santa Luzia - 2º Lugar – 130/170

·  13/08/17 – Itaúna – 2º Lugar – 152/203

·   24/09/17 – Vespasiano – 2º lugar – 164/203

·   01/10/17 – Itaúna – 1º lugar – 164/220

·   15/10/17 – Igarapé – 1º Lugar – 187/182

·    29/10/17 – Congonhas – 1º Lugar – 138/214

·    05/11/17 – Sete Lagoas – 1º Lugar – 149/215

·    03/12/17 – Itaúna – 1º Lugar – 161/212

·    10/12/17 – Congonhas – 1º  Lugar – 146/182

·    17/12/17 – Lafaiete – 1º Lugar – 184/212

·     24/12/17 – Sete Lagoas – 1º Lugar – 217

·     07/01/18 – Sete Lagoas – 1º Lugar – 203

·     14/01/18 – Mateus Leme – 1º Lugar – 206

    # Média de 157,5 na primeira marcação.

    # Média de 203 na marcação Final.

    # Maior cantada: 220 cantos na Final em Itaúna, 01/10/17.

 10-  Qual a sensação de ser CAMPEÃO MINEIRO?

 R: Um campeonato não é um torneio apenas, são várias adversidades, muito desgaste, cada torneio acaba tendo um peso maior. Um torneio bem feito, uma linda apresentação, uma grande cantada...é apenas um degrau na escada. Mesmo com lindas apresentações e uma boa colocação tudo ainda depende da próxima etapa que está por vir. Uma etapa perdida, uma pequena falha, pode custar caro lá na frente. Eu tinha consciência disso o tempo todo, por isso me doei tanto a este campeonato.

A minha sensação é de dever cumprido, mas não de dever cumprido comigo mesmo e sim com o Rei. Porque o Rei por toda felicidade que me proporcionou, pelo ano maravilhoso que teve, merecia ser coroado com este título. Merecia entrar para a história dos grandes Trincas Mineiros.

A felicidade é grande demais!!!! Poder ter sentido dos amigos uma torcida e uma energia que contagiou e fez toda a diferença. Poder hoje dividir com os amigos este título e sentir que se alegram e comemoram comigo.

Eu só tenho a agradecer! Obrigado meus amigos, obrigado meu REI DO GADO, CAMPEÃO MINEIRO FEOMG 2017/2018!!!!!!!

 11- Quais são suas perspectivas para o ano de 2018 para a dupla: Bernardo/Rei do Gado?

R: São as melhores possíveis. Em primeiro lugar conseguir fazer com que tudo caminhe o melhor possível nesta fase de muda. Conseguir dar a atenção necessária que ele merece e contar com a sorte nas minhas “aventuras” de manuseio para quando começar a Temporada. Para o final do ano tenho planos de criar com ele. Tudo já vem sendo preparado programado há algum tempo para se Deus quiser conseguirmos  herdeiros do Rei e do Raio, dando continuidade nestas genéticas maravilhosas. Acima de tudo tenho muito a agradecer a Deus por ter a honra e o prazer de conviver com este animal maravilhoso e pedir que continue nos abençoando sempre.

 12- Se pudesse definir em uma ÚNICA palavra seu amigo Rei do Gado, seria...........

 R: MESTRE!!!!!!

     Bernardo, obrigado pela participação em nosso site, por dividir conosco um pouco da história dessa fera chamada REI DO GADO e parabéns pelo Título de Campeão Mineiro 2017/2018!!!

 

André Barros

Diretor Geral dos Torneios de Canto da AOBC.

Publicidade

Copyright © 2018 Copyright AOBC Rights Reserved.