foto1
foto1
foto1
foto1
foto1
Associação Ornitológica de Barão de Cocais

Online

Temos 82 visitantes e Nenhum membro online

Login

Visitas

227204
Hoje
Ontem
Esta semana
Semana passada
Este mês
Mês passado
Todos os dias
192
3430
5151
220603
8810
12810
227204

Seu IP: 54.147.142.16
18-11-2018 12:40

SITE DA AOBC

 

1ª ENTREVISTA MÊS DE MAIO/2018

 

Em continuação ao nosso quadro de ENTREVISTAS para o site da AOBC, nesta primeira quinzena de Maio de 2018, estaremos conversando com o criador Fernando Maia da cidade de São Paulo/SP, proprietário do Trinca-Ferro GLADIADOR, atual CAMPEÃO NACIONAL COBRAP/2017, modalidade Canto-Fibra e também sócio do Criatório Trincas da Garoa.

 

1-Fernando, em que época você iniciou no mundo dos Torneios de Canto Fibra e como eram os Torneios naquela época, eram bem diferentes dos dias atuais?

 

R: Eu Fernando Maia, comecei nos anos 2000, primeiramente com pássaros de cantos (Trinca ferro e Coleiro), sendo Tri-Campeão Brasileiro (Canto Clássico e Especial Trinca Ferro). Já por volta do ano de 2008, comecei a me interessar pela fibra, aonde me encantou, foi aí que conheci alguns amigos da fibra e claro pela espécie Trinca Ferro pela qual sempre fui apaixonado, sendo assim adquiri meu primeiro pássaro de Fibra um trinca ferro com mais 2 fêmeas. Puxei alguns torneios já no final do ano de 2008 e mesmo sem ter a menor noção de como era o manejo de um pássaro de roda, tive êxito de ter já um pássaro diferenciado cujo coloquei o nome de ABSURDO, meu grande e primeiro xodó. Quanto aos torneios, quando comecei  eram muito disputados com pássaros diferenciados realmente, não que os de hoje em dia não são, mas todos sabem que cada vez mais se perde a essência dos verdadeiros resultados obtidos pelos respectivos pássaros que ali o fazem com maestria e assim os sendo muitas das vezes manipulados pelo ego de cada um dos participantes.

 

2-O Trinca Gladiador apareceu em qual cidade, como eram suas apresentações no início de sua trajetória e em que ano ocorreu a transferência dele para o seu plantel?

 

R: O Trinca GLADIADOR estava com um amigo do Marquinhos (Estado do PR), que assim relatado por ele (Marcos) que o mesmo já estava pra se desfazer do pássaro, pois era muito assustado, mas como ele disse ao Marquinho que o mesmo era muito rápido o Marco pegou ele para cuidar, pois estava muito judiado,  sem penas nas asas e sem rabo parecia um tico-tico, o deixando trocar as penas, mas não fez uma muda legal, ficou com as penas feias e quebradiças, mas como ele era muito assustado Marco não mexia com ele, até que um amigo ligou e falou se podia levar um trinca pra testar falando para ele que podia sim, mas que seu trinca era assustado e mesmo assim ele levou o Trinca dele. Chegou cantando bem, aí do nada o Gladiador soltou o canto no gaiolão mesmo,  ele pediu pra colocar perto, mas o Trinca dele não aguentou nem dez minutos, o Gladiador ficou louco, dava três, até quatro cantos por um no dele, sendo assim o Marcos resolveu levar o GLADIADOR ao primeiro torneio da sua vida, cantando 117 cantos na classificação e 151 cantos na final, mas como ele abriu tarde, só puxou três vezes naquele ano, no qual ainda era muito assustado,  quando fechava para fazer a marcação ele se desconcentrava sendo normal. No ano seguinte ele foi Campeão no Regional de Maringá/Londrina/PR e foi Vice-Campeão Paranaense. Realmente já muito cedo se mostrava ser um pássaro diferenciado, detalhe que já neste ano no Campeonato Paranaense ele deu show, foi a maior cantada dele com 197 cantos,  viajando com três trinca juntos no mesmo carro.  Após esse brilhante primeiro ano de conquistas nos torneios se tornando Campeão, Marquinho ainda teve o prazer e a alegria de tirar 2 filhos dele, mas que depois por uma fatalidade vieram à óbito. Após todas essas maravilhosas conquistas com essa fera, Marquinho por força maior acabou transferindo o GLADIADOR para o estado de São Paulo, para o Duda que acabou ficando pouco tempo com ele, transferindo para o meu amigo e sócio Denis, que por sua vez também ficando pouco com ele, retornando ao Duda e assim eu falei com meu outro amigo e sócio Afonso (Ceará) que tínhamos que ir atrás desse pássaro. Assim definitivamente no ano de 2015 ele vinha para o CRIATÓRIO TRINCAS DA GAROA.

 

3-Quais as características que o Gladiador possui que chamou sua atenção e desde no início você já imaginava que ele poderia ser Campeão Nacional?

 

R: Como costumo me referir a ele (GLADIADOR) este maravilhoso pássaro têm às características de que todos nós amantes da fibra buscamos: uma raça (fibra) sem igual aliado a um estilo aguerrido e uma velocidade impressionante em seu repique (destroncado) de canto. Quanto imaginar que poderia se tornar um Campeão Nacional já era muita pretensão, pois costumo dar um passo de cada vez, seja ela qual for a ave, e assim foi feito com ele.

 

4-Desde a aquisição até o início do Campeonato Cobrap em 2017, você fez muitos ajustes com ele, em termos de mexida/manejo?

 

R: Então, como ele vinha de varias mudanças de casa, o mesmo estava com a cabeça meio bagunçada e cantando na casa dos 140 a 150 cantos. Foi então que liguei para o Marcos e ele prontamente nos relatou como era sua mexida quando ainda era dele. Relatei tudo ao Afonso (Ceará) que era onde o GLADIADOR estava, na casa de sua mãe, pois o Bolt ainda estava em minha casa . Sendo assim o Afonso foi fazendo algumas mudanças em sua mexida e ele foi correspondendo bem, aumentando sua média gradativamente, até onde se chegou a uma mexida ideal, o acertando ao final do ano no mês de novembro,  já durante o fortíssimo Campeonato Regional de Santo André, onde se sagrou Vice Campeão Regional 2015. Não bastasse toda essa façanha do GLADIADOR,  eu como gosto de pássaros que viajam, ao término do Campeonato Regional, quis testá-lo em uma viagem, foi feito assim e fomos ao torneio de Itajubá/MG onde ele continuava a nos surpreender e se superar, dando 138 cantos na classificação e 181 cantos na final. Ainda não satisfeito queria saber se ele cantava viajando em semanas seguidas, sem descanso e assim foi feito, fomos ao torneio de Pinheiral no estado do RJ, dando mais um show e se superando, dando 184 cantos na final. Ali tive a certeza de que realmente ele estava pronto e na sua mexida ideal. Então descanso merecido para a muda de penas.

 

No ano de 2016 como o Bolt tinha sido transferido, Gladiador  já depois de sua muda pronta, o trouxe para casa. Como havia no ano anterior visto que ele era realmente um pássaro diferenciado, o que faltava a ele seria um título mais importante no seu currículo,  para realmente se consagrar e mais uma vez assim foi feito e ele GLADIADOR não deixou por menos, viajando todos os finais de semana e com uma média muito considerável, se consagrou Campeão Estadual/SP em 2016. Assim começaram a ver ele com outros olhos, pelo menos no estado de São Paulo e algumas pessoas falavam que seu próximo passo seria disputar o tão sonhado e almejado Campeonato Nacional. Eu como sempre muito pé no chão, de esperar a pós muda e as primeiras puxadas preparatórias no ano seguinte para ver como a ave virá, assim o fiz e neste ano de 2017 o Campeonato Nacional iniciava no começo do mês de agosto, o que não era de costume. Como gosto de dar a primeira puxada somente até a classificatória, a fiz no meio do mês de julho, com mais uma pequena mudança de não levar a fêmea dele por ser próximo de casa e foi aí mais uma surpresa, dele cantar mais solto com menos briga e classificando em primeiro com 149 cantos. Como também gosto de deixar a ave descansar pelo menos uma semana antes da primeira etapa de algum campeonato começar, tinha que deixá-lo finalizar um preparatório para que tivesse a certeza que realmente o pássaro estava bem . Assim foi feito e fomos ao torneio de Santo André e como ele havia ido muito bem no torneio anterior, repeti a mexida de não levar a fêmea junto com ele no carro. Mais uma maravilhosa surpresa e a concretização de que aquela definitivamente seria à sua melhor mexida e fomos agraciados com um verdadeiro show do GLADIADOR, encantando à todos que ali estavam, finalizando  com 205 cantos. Ali então conversando com meus sócios do Criatório Marcelo e Dudu, eles me convenceram que aquele era o ano do GLADIADOR.

 

5-Sabemos que a época de muda de penas é muito importante para que o pássaro possa vir bem, saudável e em plenas condições para disputar um Campeonato. Como foi o manejo dele na época de muda de penas? Ele muda em um gaiolão grande ou num voador menor?

 

R: A muda de penas do GLADIADOR foi feita como faço com todos os outros pássaros que eu mexo em casa. Eles moram em um gaiolão de 2,5 metros e na muda de penas reduzo o gaiolão em apenas 1 metro. Ele é muito tranquilo na muda, característica esta que gosto muito em um pássaro, pois ele realmente descansa e guarda energias para a árdua temporada. 

 

6-Foi feito alguma preparação especial para a disputa do Campeonato Nacional, durante a Pré-Temporada (maio a julho)?

 

R: Como disse anteriormente nada em especial, apenas o de costume que faço em qualquer pássaro. Não mexo com meus pássaros antes do mês de julho, pois o nosso inverno é rigoroso e mexer antes do tempo pode comprometer toda à temporada. 

 

7-Como é o comportamento do Gladiador em casa, no dia a dia, já durante a Temporada Oficial de Torneios?

 

R: O GLADIADOR no dia a dia é um pássaro muito cantador, gosta de cantar, mais uma das qualidades que gosto nele (claro isso durante a temporada).

 

8-Quanto à preparação física do Gladiador você o exercita ou deixa isso ocorrer naturalmente? Em qual época acontece este manejo? Como é o “apartamento” do Gladiador?

 

R: O GLADIADOR é um pássaro com um biótipo atlético, esguio, não tem tendência a engordar, então não vejo à necessidade de exercitá-lo, haja vista que o mesmo se exercita naturalmente no seu gaiolão de 2,5 metros de comprimento por 0,70 cm de altura e 0,35 cm de largura.

 

9-A alimentação de um Trinca-Ferro de Torneios deve ser balanceada e especial, pois, são verdadeiros atletas. Como é a alimentação do Gladiador durante a Temporada de Torneios?

 

R: A alimentação do GLADIADOR é basicamente o de costume ração, farinhada e sementes,  com algumas pequenas mudanças como na ração aonde é substituida a nutropica (trinca ferro Natural) pela nutropica reprodução (fertmax) e aumento também à disponibilidade de frutas, legumes e verduras alternadas.

 

10-O Gladiador é um pássaro de fêmea? Se ele tiver sua “amada”, como é o manejo dele com a sua “dona Maria”?

 

R: Vamos lá. Sim o GLADIADOR é um pássaro que tem à sua fêmea (América). Sim sua mexida é bem fácil e da qual gosto muito por facilitar muito nas viagens. Eles ficam em casa em uma boa distância, entre uns 10 metros mais ou menos, porém, um nos fundos da casa e o outro na frente da casa, de segunda à sexta-feira até a aproximação do casal, onde por volta do horário do almoço (entre 12:00 às 15:00) sem muita frescura com horários rigorosos, onde o casal tem assim o contato visual. Ele (GLADIADOR) continua no seu gaiolão, sem nenhuma alteração e ela (fêmea) vindo até a ele, onde coloco a gaiola dela na parede em frente ao seu gaiolão e assim ficando até o horário de sair de casa.

 

11-Sabemos que cada pássaro reage diferente quanto ao manejo junto a fêmea, por isso, é ainda uma grande dúvida dos criadores a questão de “deixar o casal fazer a muda de penas perto ou não”. Como você faz, deixa juntos ou separados (caso o Gladiador seja “casado”)?

 

R: Sabemos que isso é muito particular de cada pássaro e de cada pessoa. Sempre deixo meus pássaros mudarem tranqüilos, sem as devidas fêmeas e com o GLADIADOR não é diferente. Gosto até se possível tirar a fêmea da casa e levá-la para outra casa, não havendo essa possibilidade, deixo o mais longe possível.

 

12-Como vocês viajaram bastante, conte-nos um pouco do manejo durante as viagens e também durante a permanência nos hotéis?

 

R: Gosto sempre de viajar com o máximo de antecedência, mas como nem sempre é possível devido ao trabalho, sempre procuramos viajar na sexta feira bem cedo ao clarear o dia, onde o pássaro tem o desgaste e o estresse da viagem na sexta e tendo assim uma noite tranquila de sexta para sábado. Já no hotel onde irá acordar no sábado no quarto, ambientado só para o casal, para poder descansar e se recuperar da viagem, sem mais nenhum tipo de incômodo ao casal, pois já se encontram em um ambiente estranho. As posições das gaiolas do casal são reproduzidas ao máximo possível de semelhanças ao ambiente natural estando em casa.

 

13-Na véspera do Torneio, há algum manejo específico que você faz com o Gladiador? Ele permanece já na gaiola de Torneio ou em voador menor?

 

R: O trato é reforçado: água limpa e banheira para banho. O casal fica cada um em um gaiolão pequeno de 0,60 cm para ficar o mais à vontade possível.

 

14-Qual tipo de fruta você utiliza na roda e porque utiliza tal fruta? Fornece algum suplemento vitamínico na água durante os Torneios?

 

R: Na hora do torneio forneço maçã para o GLADIADOR, pois é uma fruta que sustenta e ao mesmo tempo hidrata por conta do alto índice de açúcar, para que possa deixá-lo o mais alimentado e hidratado possível e além disso  é uma fruta que ele se adaptou bem. 

 

15-Como foi o desempenho do Gladiador durante o Campeonato Nacional Cobrap?

 

R: Graças a Deus o desempenho do GLADIADOR foi o melhor possível e esperado desse maravilhoso pássaro. Um Verdadeiro gladiador fazendo um campeonato exemplar, LIDER do começo ao fim.

 

16-Em qual etapa ocorreu o momento de maior emoção que o Gladiador lhe proporcionou?

 

R: Sem dúvidas foi a etapa de Vespasiano/MG, onde ele me deu a enorme felicidade de cravar os tão sonhados 200 cantos numa etapa de um NACIONAL, onde as dificuldades são enormes e os adversários são muito duros. 

 

17-Ocorreu algum fato inusitado ou engraçado que vocês tenham vivido neste Campeonato Nacional 2017?

 

R: Quanto a fatos inusitados sempre há em se tratando de NACIONAL. Vou relatar um fato engraçado para descontrair nossa entrevista. Fomos para Vespasiano/MG, no sábado, já na véspera e o nosso grande amigo e irmão mineiro SIMÃO nos reservou e nos colocou em um maravilhoso hotel da cidade, cujo o nome não me recordo agora e que nele tinha uma vista maravilhosa e um laguinho com uma cascata linda, enfeitando. Olhei para aquele laguinho, olhei de lado e o meu parceiro e irmão Fabinho me disse (e aí lontra vai nessa) e pensei comigo com risadas, tá doido....Saímos para almoçar e quando retornamos ao hotel, passamos ao lado do laguinho outra vez  para irmos para o quarto e o Fábio outra vez me insultou... só dei risadas e disse se o GLADIADOR ganhar o torneio amanhã eu pulo nesse laguinho, risadas demos.......Então batemos papo com os amigos e fomos jantar e depois dormir, aquilo já havia caído no esquecimento. Fomos ao torneio no domingo e aquela tensão e o GLADIADOR deu um show, cravando 200 cantos  na final. Mesmo ficando em 3 lugar a alegria era demais. Voltamos para o hotel para pegar as coisas e ajeitar os bichos (trocar as frutas e colocar água fresca) e ao me deparar com aquele laguinho não tive dúvidas, entreguei a gaiola do GLADIADOR na mão do Fábio, olhei para um lado e para o outro e ele não acreditando, me disse: espera aí que vou filmar isso dando risadas....kkkkkkkk. Joguei-me no laguinho de roupa e tudo, éramos só risadas  ... quando olhei pra cima da cascata do laguinho, tinham duas mulheres conversando e não acreditavam naquela cena que estavam vendo  ... mas  eu não estava nem aí, era só alegria. Mas que foi engraçado a cara das mulheres, isso foi. 

 

18-Qual das etapas foi a mais difícil para vocês e quais foram os desafios encontrados nesta etapa?

 

R: A nossa etapa mais difícil sem sombra de dúvidas foi a última etapa do Campeonato, na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, onde tínhamos uma boa vantagem sobre o segundo lugar, mas o GLADIADOR já se encontrava numa muda de penas brava e teríamos que pontuar bem de qualquer maneira. Continuando na mexida chegamos ao hotel e eram só penas no fundo da gaiola, cada vez mais caía penas. No domingo cedo, momentos antes do torneio, mais penas e ele mal conversava com a fêmea. Trato reforçado e pensei comigo, esse bicho é guerreiro, mas naquele estado era realmente preocupante, mas disse comigo mesmo: “seja o que Deus quiser”. Dado o horário, ainda pensei comigo: “será que levo a fêmea junto ao torneio, devido  aquela situação”? Pensei mais uma vez e lembrei daquele famoso ditado:  " time que está ganhando não se mexe ". Assim tirei da fêmea e fomos para o torneio e como era o de costume ele sairia da fêmea já cantando .... É mas não foi o que aconteceu não, ele não deu um pio até o torneio, o que realmente aumentou a preocupação, mas ali estávamos e não poderíamos falhar na sua última hora para a glória. Assim antes de sair do carro e até ali nenhum piado, abri um pouco da frente da capa só para vê-lo, como ele estava e vi mais penas na gaiola, do hotel até ali, mas enfim, olhei para ele e disse: “ é meu garoto, agora é com você!!”. Ele parecendo me entender, deu um macheado e um cantinho no gogó, àquilo até me arrepiou. Saímos do carro e então era o meu garoto, escutou o barulho dos outros pássaros e já foi logo se impondo e despejando cantos!!!!!!

 

19-Qual foi a média de cantos do Gladiador durante o Campeonato Nacional 2017 e qual sua maior cantada nos 10” e na Final?  

 

R: A média de cantos do GLADIADOR no Campeonato Nacional foi de 130 cantos na classificação e 180 cantos na final. Sua maior cantada na classificação foi 138 cantos e de 200 cantos na final .

 

20-Quais foram os obstáculos que vocês enfrentaram durante o Campeonato?

 

R: Esse ano sinceramente, claro, além dos adversários, foram os terríveis engarrafamentos que pegamos nas estradas, em quase todas as viagens. Esse ano realmente foi demais. A viagem a etapa no estado do ES, que gastaríamos, em torno de 12 à 13 horas, gastamos 21 horas de viagem, se isso é desgastante para nós ... costumo dizer imagina para os bichos .

 

21-Você fez algo durante o Campeonato que se pudesse voltar atrás, faria diferente, tipo: uma mexida nova ou uma viagem com mais antecedência, etc?

 

R: Não, não. Apesar dos contratempos como relatado acima, tudo foi dentro do programado.

 

22-Qual a sensação de ser Campeão Nacional Cobrap?

 

R: Ah, ser CAMPEÃO NACIONAL é realmente uma emoção indescritível, é o ápice de tudo! Agora ser BI CAMPEÃO NACIONAL com dois pássaros diferentes (BOLT & GLADIADOR) é realmente um presente de Deus!!!! Tenho a certeza de que Deus lá de cima coloca suas mãos sobre a pessoa a ser abençoada. Eu só tenho a agradecer tamanha bênção!!!!!

 

23-O Gladiador possui outros Títulos, tipo: Regional ou Estadual? Qual a média de cantos dele nestes Torneios?

 

R: Sim, como dito anteriormente ele é Campeão Regional Maringá/Londrina/PR, Vice Campeão Paranaense/PR, Vice Campeão Regional Santo André/SP-2015, Campeão Estadual/SP-2016 e Campeão Nacional 2017. Bico de Ouro Nacional/2017, se sagrando o pássaro que obteve a maior média durante o Campeonato.

 

24-Qual a diferença entre disputar um Regional e um Nacional, além da distância entre os Estados?

 

R: Além da distância que já é uma diferença enorme, temos também rodas mais pesadas, com adversários fortíssimos,  com uma carga horária maior. Outra grande diferença de que o pássaro dorme fora de seu ambiente natural (casa) até mais de dois dias e tendo que manter médias altas durante todas as etapas.

 

25-Atualmente existem diversos Clubes que realizam Torneios pelo Brasil afora. Como você analisa essa situação, uma vez que com um número maior de Clubes, muitas vezes entre cidades com menos de 50 Km de distancia uma da outra, os Torneios estão ficando “enfraquecidos”, ou seja, com menos participantes?

 

R: Eu acho muito ruim isso, porque os torneios ficam enfraquecidos em todos os quesitos. As boas aves se espalham, assim enfraquecendo as boas disputas, os participantes se espalham diminuindo a arrecadação em todos os eventos, onde para se fazer o evento os gastos são os mesmos, assim todos saem perdendo e a grande desunião que há em nossa classe. Isso é muito ruim para todos.

 

26-Você acha que o Regulamento de um Torneio de Fibra deveria ser padronizado entre os Clubes ou não? E já falando em regulamento, quanto ao horário de início de um Torneio Fibra, qual seria o horário ideal de início: 08:00 hs ou 08:30 hs? Por quê?

 

R: Em se falando de regulamento, acho sim que deveria ser padronizado, não só nos clubes, mas também nas federações. Quanto ao horário, acredito que os campeonatos Regionais e Estaduais poderiam começar às 8:30 e o Campeonato Nacional às 8:00,  como um grau à mais de dificuldade para abrilhantar o evento de tamanha grandeza.

 

27-Há um tempo se cogitou marcar uma nota para o Canto dos Trinca-Ferros em Torneios Oficiais no Estado de São Paulo, contudo, esta mudança não foi implementada pela Federação e/ou pelos Clubes. Porque esta idéia não foi adiante? Você é contra ou a favor desta mudança e por quê?

 

R: Esta idéia graças a Deus não foi adiante, pelo simples motivo de que não se marcam uma nota para o canto de trinca-ferro em nenhum lugar do Brasil, há não ser em Santa Catarina. Eu sou totalmente contra a marcação de uma nota de trinca-ferro por conta de que nos dias de hoje, já é muito difícil coibir os marcadores mal intencionados não marcando uma nota, imagine se marcasse. Teríamos à total banalização nos torneios de fibra de trinca-ferro, como ocorre nos coleiros (que me desculpe os coleiristas sem generalizar) de que todos que acompanham observam as discrepâncias. Temos também que se aceitando uma nota nas marcações de trincas-ferros, nos torneios de fibra, estaríamos retirando toda a sua característica natural de seu maravilhoso canto, pois não é da naturalidade dos trinca-ferros cantarem com somente uma nota e sim de no mínimo três notas, quase que na sua grande maioria, haja vista que esses pássaros que emitem uma nota saio exceções e não a grande maioria. Vendo pelo lado também de nós criadores, os que gostam de fazer um encarte de canto o mais curto possível, imaginem os senhores o que seriam de nossos filhotes???? Será que você passaria a escutar um trinca-ferro cantando como tal??? Ou escutaria um trinca-ferro cantando como um pintinho de granja, só piando??? Fica aí a pergunta!!!!

 

28-Quanto à criação em cativeiro dos Trinca-Ferros, sabemos que você é sócio do Criatório Trincas da Garoa e com certeza esta criação em cativeiro será a salvação para a continuidade de nosso hobby. Fale-nos um pouco de sua experiência quanto a este assunto, principalmente no quesito: filhotes com genética para competição Fibra!

 

R: Este assunto é muito delicado. As pessoas que criam e fazem realmente um trabalho de melhoramento genético de fibra e velocidade, sabe aqui do que vou falar. As técnicas de criação da espécie Trinca Ferro verdadeiro (Saltator similis) já são do conhecimento e êxito de muitos graças à Deus, porém à de melhoramento genético quando nos referimos à fibra e velocidade é muuuuuuuuuitooooooooooooo complicado esse êxito. Pois a espécie é extremamente territorialista e assim nós aguçamos ainda mais seus instintos fazendo cruzamentos direcionados para obtermos êxito,  tornando assim muito dificultoso a recria da espécie, principalmente em relação às fêmeas, que são confinadas no mesmo ambiente, muitas das vezes são parelhadas umas ao lado das outras por falta de espaço, a qual talvez elas ainda não se sintam totalmente à vontade para procriar, ssim dificultando o tão sonhado resultados que esperamos em suas proles . Como ainda engatinhamos na criação de Trinca Ferros temos que ter muita paciência e continuarmos nessa árdua batalha até chegarmos à um melhor desempenho na criação para que possamos formar sim famílias de Trinca Ferros de fibra e velocidade, de resultados  como assim foi feito na criação de Bicudos e Curiós. 

 

29-Qual dica daria aos iniciantes nos Torneios de Fibra para Trinca-Ferro, para que possam alcançar sucesso neste tão árduo, mas encantador hobby?

 

R: Como diz o ditado: “se conselho fosse bom não se dava, se vendia”, mas como me pediram umas dicas vamos lá: observação, paciência e no trinca ferro lembrando que o pouco é muito (salve exceção) muito diferente dos coleiros, quanto menos mexer, melhor!

 

30-Se pudesse definir em uma ÚNICA palavra seu amigo Gladiador, seria...........

 

R: GUERREIRO!!!

 

Quero através do Criatório "TRINCAS DA GAROA" se possível, primeiro agradecer sempre à Deus por todas as graças alcançadas, os amigos conquistados e o grande aprendizado que temos todos os dias e com todas as pessoas!!!!!

 

Agradecer aos amigos da AOBC por participar dessa grande entrevista e aos meus grandes amigos parceiros e sócios Marcelo Panno, Carlos Eduardo Afonso (Ceará) Fábio Ferreira, Simão Pedro e a todos os outros amigos que direta ou indiretamente fizeram parte dessas maravilhosas conquistas!!!!

 

E CLARO A ESTE GRANDE GUERREIRO CHAMADO GLADIADOR, O NOSSO MUITO OBRIGADO POR TUDO MEU GAROTO!!!!!!!

 

E AGUARDEM MEUS AMIGOS, POIS ESSA FERA CHAMADA "GLADIADOR" NÃO PAROU POR AÍ... ... TEREMOS NOVIDADES !!!

 

 

 

Fernando, nós da AOBC, amigos e visitantes agradecemos por compartilhar conosco um pouco da trajetória deste brilhante pássaro chamado GLADIADOR, parabenizando a dupla pelo tão difícil Campeonato Nacional Cobrap/2017.

 

Sucesso sempre para vocês!!

 

André Barros

 

Diretor Geral dos Torneios de Canto da AOBC.

 

 

Publicidade

Copyright © 2018 Copyright AOBC Rights Reserved.