foto1
foto1
foto1
foto1
foto1
Associação Ornitológica de Barão de Cocais

Online

Temos 42 visitantes e Nenhum membro online

Login

Visitas

169914
Hoje
Ontem
Esta semana
Semana passada
Este mês
Mês passado
Todos os dias
20
130
3069
164140
6882
8549
169914

Seu IP: 54.92.153.90
23-06-2018 02:50

 

SITE DA AOBC

 

2ª ENTREVISTA MÊS DE MAIO/2018

 

        Continuando nosso quadro de ENTREVISTAS para o site da AOBC, nesta segunda quinzena de Maio de 2018, estaremos conversando com o grande Veterinário Especialista em pássaros, Dr Igor Magno “Dr Selvagem", da cidade de Joinville, estado de Santa Catarina.

 

1-Dr Igor há quanto tempo se dedica a esta arte de cuidar dos nossos bichos e de onde veio essa inspiração para ser veterinário?

 

R: Boa Tarde a todos, que estudo as espécies de pássaros a cerca de 18 anos e trabalhando com aves há 12 anos. Desde criança nunca soube fazer outra coisa e tinha quase um zoológico em casa;

 

 

2-Atualmente onde é sua clínica? Quais estados já viajou para atender pássaros e há outras especialidades a qual se dedica também?

 

R: Nossa clinica a matriz é em Joinville/SC. Atendo em Camboriú toda quarta, São José (Grande Florianópolis) toda quinta e Gaspar (Blumenau) toda sexta. Atendemos regularmente 10 estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pará, Maranhão, Goiás e Bahia); Atendemos 90% aves. E o restante outras espécies em trabalhos que fazemos com a Polícia Ambiental, Portos e Concessionárias de rodovias por exemplo. NÃO ATENDEMOS apenas cães, gatos, suínos, bovinos e equinos;

 

3-Há quanto tempo vem se destacando no atendimento especializado para os pássaros?

 

R: Acerca de 12 anos.

 

 

4-Sabemos que nos dias de hoje, a criação em cativeiro de pássaros está tendo um grande crescimento, contudo, ainda assim são poucos os profissionais especializados que se dedicam aos pássaros, principalmente a aqueles de competição e genética de canto. Porque isto ocorre?

 

 

R: Acredito que devido a falta de interesse e afinidade com a espécie, além de ser animais muito sensíveis e difícil de serem medicados, tratados, etc, quando comparado com a media dos mamíferos, muitos profissionais acabam se frustrando com resultados negativos;

 

5-Hoje com o grande número de Torneios de Canto, criadores amadoristas  e criatórios comerciais de pássaros espalhados por todo o Brasil, aumentou-se também o cuidado com essas aves, principalmente no quesito: saúde. Qual sua opinião sobre isso?

 

R: Acredito que tudo faça parte de uma evolução e até mesmo uma seleção natural, os criadores que estiverem sempre atualizados sairão à frente dos demais;

 

6-Sabemos que para se avaliar de maneira correta a saúde de um pássaro, o ideal é realizar exames. Quais seriam os melhores exames para se fazer um “chekup” geral em nossas aves e onde tais exames poderiam ser realizados?

 

R: O principal exame que é indispensável a ser realizado é o exame clinico/físico, onde são avaliados parâmetros como peso, escore corporal (distribuição de massa muscular x gordura), avaliação de cavidade oral e língua, avaliação abdominal, onde pode ser observado parâmetros como aumento intestinal e alterações no fígado, ausculta de sacos aéreos para avaliação de problemas respiratórios das mesmas, isso constitui quase 80% de um bom diagnóstico, o restante seria exames de fezes, sangue raio x, endoscopia, tomografia etc, que podem ser realizados em laboratórios de confiança da preferência do seu veterinário de confiança;

 

7-Na impossibilidade de ser realizar exames das aves é possível apenas com a observação das “fezes” do pássaro, verificar algum sintoma de que essa ave possa apresentar algum problema de saúde?

 

R: O exame apenas de fezes, como o próprio nome já diz “exame complementar” é muito útil, mas sozinho se torna pouco preciso;

 

8-Existem outros “indícios” que poderíamos observar em uma ave, que possa demonstrar que algo está errado com sua saúde?

 

 

R: Penas eriçadas, olhos fechados, respiração ofegante, dificuldade em se empoleirar, dificuldade em se alimentar, fezes muito aguadas ou com sangue entre outros;

 

 

9-Hoje temos várias marcas “nacionais” de rações extrusadas no mercado, especialmente desenvolvidas para todos os tipos de aves. Ainda assim, muitos criadores ainda procuram fornecer algumas rações “importadas”. Há realmente a necessidade dessa complementação com estas rações “importadas”?

 

R: No Brasil temos já marcas muito excelente, mas se o criador tiver acesso a importadas de boa qualidade, não vejo problema algum;

 

10-Muitos criadores possuem dúvidas quanto ao manejo correto na muda de penas e de bico dos pássaros. Mantendo-se uma alimentação balanceada neste período, ainda assim é necessário ministrar algum tipo de “vitamina” ou outro “suplemento”?

 

R: Existem nutracêuticos bem completos no mercado que podem sim auxiliar nessa fase, mas alimentação equilibrada, temperatura adequada, e manejo sanitário e luminoso são fundamentais;

 

11-O que seria uma alimentação balanceada no período de mudas e de bico, para que a ave possa vir saudável para a Temporada de choca ou de competição?

 

R: Isso vai depender da ave, existem mais de 9000 espécies, desde aves que comem insetos, aves que comem carne, néctar, vegetais etc. A utilização de alimento extrusado e suplementos nutraceuticos de boa qualidade podem garantir o aporte de nutrientes necessários para maioria das espécies;

 

12-Existe uma grande dúvida entre os criadores de pássaros quando o assunto é PIVITE. Porque ela ocorre e qual o melhor tratamento?

 

R: É uma terminologia coloquial que se refere a hiperqueratose lamelar de camada córnea da língua, causada entre outros fatores, principalmente por hipovitaminose A, podendo ser primária devido a uma ingestão insuficiente desse componente, ou por alguma afecção que esteja diminuindo a absorção da mesma, como coccidiose, aspergilose entre outras. Pelo fato de se tratar de um sinal clínico e não a doença em si, teria que identificar a causa inicial para o correto tratamento posterior;

 

13-Em se tratando de pássaros de Torneios de Fibra, por exemplo, o trinca-ferro verdadeiro, como seria a melhor forma para condicionar bem fisicamente uma ave de Torneio?

 

R: O uso de viveiros ou gaiolão com poucos poleiros é válido, além de alimentação equilibrada; 

 

 

14-Em relação à exposição dos pássaros ao sol, umas três vezes na semana, com cerca de 30 minutos, seria suficiente para a ave adquirir a vitamina D tão necessária para uma boa saúde?

 

R: Pode ser realizado exposição diárias de 20 minutos das 9:00 às 9:20 por exemplo seria o suficiente;

 

15-Atualmente uma grande problema enfrentado pelos criadores é a obesidade nos pássaros, principalmente ocasionada por má alimentação e sedentarismo. Há algum medicamento que possa auxiliar no tratamento dessa obesidade, além, é claro de uma mudança na alimentação, prática de exercícios físicos e banhos de sol?

 

R: Normalmente além do manejo supracitado suplementos que contenham colina, e hepatoprotetores que contenham metionina, complexo B e silimarina podem contribuir;

 

16-Este ano vem ocorrendo várias mortes de pássaros de Torneios de Fibra, ocorrendo tais óbitos, principalmente no período de muda de penas/bico. Na maioria dos casos, as aves apresentavam estar bem e derrepente, “encorujavam”, ficavam tristes e morriam. Há alguma doença específica que apresenta tais sintomas e mesmo não sabendo ao certo a causa da doença, há algo que se possa fazer para retardar este óbito, afim de que se possa realizar um exame mais completo ou até mesmo internar a ave?

 

R: As aves possuem metabolismo muito rápido, então doenças crônicas podem se tornar aguda sem que o proprietário perceba: Eles disfarçam muitas vezes diversas doenças, as penas, por exemplo, podem mascarar um emagrecimento progressivo se o proprietário não tem o hábito de pegar sua ave na mão. A época de muda exige muito do metabolismo dos pássaros, ondem podem acabar enfraquecendo nesse período. Exames periódicos e consultas dos mesmos podem prevenir inúmeros problemas;

 

17-No período do inverno, além de se evitar as correntes de vento, é necessário que se cubra os pássaros à noite?

 

R: Na região sul do Brasil recomenda-se inclusive manter com aquecedor a 28°C no inverno. Cobrir a gaiola, normalmente se evita as correntes de ar, mas não aquece o pássaro como um todo;

 

18-Sabemos que o trinca-ferro é uma ave onívora, por isso, qual a importância das frutas, verduras e legumes em sua alimentação e conseqüentemente em sua saúde?

 

R: Além desses itens eles precisam de um aporte de fibras vegetais, que podem ser encontradas em folhas de preferencia escuras, como couve, almeirão, folha de hortelã, folha de amora etc;

 

Evitar sementes, frutas e legumes com muito carbohidratos e açucares, dar preferência a bagas que contenham menos açúcar e mais fibras;

 

19-Muitos criadores utilizam algumas gotinhas de vinagre de maçã na banheira de seus pássaros. Essa prática realmente funciona para combater possíveis ácaros, piolhos e deixar as penas mais bonitas ou é apenas uma “crendice” de longa data?

 

R: O vinagre de maçã de fato é conhecido como um fungicida natural;

 

20-Atualmente devido essa febre dos Torneios de Canto fibra, muitos criadores acabam em tentar adiantar a muda de penas de suas aves, a fim de aprontá-los mais cedo, devido ao início dos Torneios. Essa prática pode ser muito prejudicial à saúde dos alados? Há algo que se possa fazer, de forma natural, visando esse adiantamento na troca de muda de penas?

 

R: Nunca devemos burlar as leis da natureza, lá na frente poderemos ser cobrados por isso e o preço pode ser caro;

 

21-Outro grande problema que vem tirando o sono dos criadores é a rouquidão nos pássaros. Porque ela geralmente ocorre e sendo logo no início, quais os procedimentos que podem auxiliar no tratamento?

 

R: A rouquidão comumente está ligada a problemas respiratórios das aves, devido a grande proximidade do órgão da voz (siringe) deles com a parte pulmonar, ou seja, rouquidão pode ser indício de pneumonia, correntes de ar e temperaturas baixas, além de manejo sanitário e alimentação inadequada são os principais fatores predisponentes;

 

22-Quanto às sementes, na alimentação dos trinca-ferros, elas poderiam ser consideradas apenas como um “petisco” a mais ou devem ser realmente incluídas na alimentação deles?  E quais seriam as melhores sementes e por quê?

 

R: Concordo sim que deveriam quando fornecidas ser apenas como pestiscos, e não como base alimentar dos mesmos;

 

23-Ainda no quesito sementes, alguns criadores oferecem as sementes “germinadas”. Tais sementes são realmente mais nutritivas que as convencionais?

 

R: As sementes germinadas quando realizadas com critério é a melhor opção, uma vez que diminuem o aporte de gordura e aumentam as fibras e vitaminas do complexo B principalmente;

 

24-Você tem um quadro na revista Passarinheiros e Cia, como é esse contato direto com os criadores e leitores dessa grande revista?

 

R: É muito gratificante essa troca de experiência, estou sempre estudando e me atualizando, a revista Passarinheiros & Cia tem um conteúdo riquíssimo e seu Editor Edilson Guarnieri além de ser um dos maiores conhecedores da causa que conheço é um grande amigo pessoal;

 

25-A título de curiosidade, além de tratar dos pássaros, você curti também os torneios de Canto ou não?

 

R: Claro, bastante;

 

26-Você já viajou para vários estados a fim de atender pássaros de Torneios de Fibra. Conte-nos como foi uma dessas viagens, especialmente na cidade de Itaúna/MG.

 

R: Foi muito Gratificante conhecer a residência e criatório do meu grande amigo Jaime e seu manejo e cuidado com suas aves. Em Minas no Geral fiz grandes amigos e clientes como o Marcelo de Nova Serrana, Sr Milton e Sr Reni entre outros;

 

27-Qual a importância da higiene no criatório e gaiolas dos nossos pássaros? Quais são os produtos mais indicados para se realizar uma higiene de qualidade?

 

R: Pode ser usado água e detergente neutro, além de hipoclorito, formol, vassoura de fogo, etc;

 

28-Outra doença que vem causando grande preocupação em nossas aves é a coccidiose. Além da prevenção, com uma rígida limpeza e higiene, o que podemos fazer para se evitar tal doença?

 

R: Quarentena quando adquirir aves novas e evitar ficar fazendo mistura inter e intra específico;

 

29-Quanto aos calos nos pés dos pássaros, quais seriam os melhores procedimentos para amenizar/curar tais calos?

 

R: Poleiros macios e com diâmetros variados;

 

30-Se pudesse definir em uma ÚNICA palavra sua profissão, seria...........

 

R: Fantástica!!!!

 

 

Nós da AOBC agradecemos a você Dr Igor Magno - “Dr Selvagem" pela entrevista concedida.

 

Muito sucesso sempre em sua carreira.

 

Dr Igor deixe aqui seu telefone de contato para que possamos, caso necessário, procurar seus serviços, ok.

 

 

www.drselvagem.com.br

 

 

https://www.facebook.com/DrSelvagem/

 

 

47 999580177

 

 

O CFMV proíbe consultas e pareceres por Whatsapp, conforme lei federal.

 

Se algum profissional usar desses artifícios denuncie (61) 21060400.

 

Publicidade

Copyright © 2018 Copyright AOBC Rights Reserved.